sábado, 1 de novembro de 2008

O Tesouro!
Há muito, muito tempo que não ia ao meu sótão.
Abri a porta, acendi a a luz, subi a escada.
Tudo estava arrumado nas prateleiras. Comecei a remexer e eis que encontrei o “Cubo Mágico”, com o qual brinquei, há muitos anos atrás, durante horas.
Ao retirar o cubo verifiquei que estava dentro de uma caixa de sapatos. Trouxe-a para a claridade e eis que tinha encontrado o meu “Tesouro”.
Lá estavam as medalhas que tinha ganho na minha juventude.



O primeiro prémio, foi um porta-chaves ganho em Fátima em 1981. A primeira medalha, a primeira taça, ...




Estavam lá também medalhas de provas que já não existem na minha cidade, Tomar.
As “5 estradas”, prova que tinha no dia da cidade partida e chegada na Praça da República. A particularidade era que eram efectuados 5 percursos, diferentes de 10 quilómetros, em equipas de cinco atletas por cada saída da cidade (Lisboa; Leiria; Paialvo; Serra e Coimbra).






A São Silvestre de Tomar, prova que cheguei a vencer no escalão de juvenil e onde ganhei a primeira taça. A última edição realizada terminei junto do meu colega de equipa, Luís Rodrigo.



Lá estava também uma medalha que ganhei na tropa. Efectuei a recruta em Santarém na Escola Prática de Cavalaria. Chovia torrencialmente quando recebi o prémio de especialidade.

Depois uma medalha com um carro. Curioso! Era do Ralipaper que uma vez tinha realizado de bicicleta com o Paulo Peres. Na altura a prova era a pares por viatura. Eu e o Paulo, fomos os dois na mesma bicicleta!
Um pedalava enquanto o outro descansava sentado no suporte, isto durante mais de 30 quilómetros com terreno acidentado. Já não vejo o Paulo há muitos anos. Sei que é piloto e mora para os lados de Carcavelos.


Um porta-chaves. I Love USA. Oferta da Susan, lembrando que já passa das duas décadas que estamos juntos.











Depois as medalhas, verdadeiras jóias!




Vieram de: Cem –Soldos, Tomar, Entroncamento, Atalaia, Riachos, Fátima, Ourém, Alvaiázere, Marruas, Sertã, Castelo de Vide, Casais Castelos,Troviscal, Linhaceira,Santarém (Feira da Agricultura) Mira d`Aire, Anadia (participação no Nacional de Corta Mato)… …




Pensei:
Afinal eu não corro há pouco mais de um ano!








Apesar de estar no futebol durante duas décadas, sempre participei, anualmente, nas “Três Léguas à Volta do Nabão” sendo totalista das 25 edições!

Eu não corro há pouco mais de um ano, eu sempre corri!
Eu corro é há mais de 30 anos!

2 comentários:

Carlos Lopes disse...

Olá Luis.

Isso é mesmo um Tesouro, relíquias que ficaram sempre na memoria e muitas vezes ficam na saudade

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Correr está-lhe nas veias Luís. Nasceu consigo. Pela forma como o faz, como divulga, como motiva os outros... a corrida faz parte de si, definitivamente.

Um beijinho Luís, para si e para a família

E já agora, uma boa Meia da Nazaré, onde eu este ano não estarei.

Ana Pereira